CARTA DE MANIFESTO DE APOIO A CRIAÇÃO DO CORREDOR CULTURAL NA REGIÃO DOS CONJUNTOS JOÃO DE BARRO I E SANTA FELICIDADE

       WhatsApp_Image_2022-08-16_at_21.22_.07_1.jpeg                                                                                                   

Carta de  Manifesto de apoio a criação do  Corredor Cultural na  região dos Conjuntos João de Barro I e Santa Felicidade

     Atualmente a criação dos Corredores Culturais é uma tendência no Brasil como forma de ligar equipamentos comunitário relacionados à cultura e espaços públicos e arquiteturas de interesse histórico patrimonial.  Reconhecendo o potencial histórico-cultural presente na região dos Conjuntos João de Barro I/Santa Felicidade, pois em 2013, o bairro recebeu o Prêmio Selo de Mérito 2013 conquistado pelo projeto de requalificação urbana e social do Conjunto Santa Felicidade. A premiação aconteceu durante o 60º Fórum Nacional de Habitação de Interesse Social. Com  base nesse fato, é  possível perceber que  a implantação do Corredor Cultural possibilitará a comunidade e ao visitante uma opção a mais de entretenimento em Maringá. Acreditamos que todos os investimentos públicos destinados a promoção da cultura terão como resultado principal o desenvolvimento social e econômico para a própria comunidade. O Corredor Cultural visa integrar o poder público, iniciativa privada, equipamentos culturais, artistas, agentes, produtores culturais e sociedade civil na valorização da diversidade cultural da região, potencializando e ampliando as atividades culturais na região e o convívio entre as pessoas. Nesse sentido, esta ação fortalece a democratização do acesso à cultura na cidade.

Como itinerário do corredor cultural para ponto de visitação podemos citar:

1) O Cazulo Feliz, uma fiação de seda   artesanal que usa os pigmentos vegetais como cor e faz os tecidos mais lindos em teor manual. Criada em 1988 produzi mais de 20 tipos de fios, e infinitos tingimentos vegetais, centenas de tecidos e produtos para decoração e trabalhando junto com a comunidade local, empreendedores e pequenos agricultores;

 

2) A Capela São Benedito denominada assim em homenagem a   São Benedito, o santo Negro, tido como Santo protetor da cozinha, dos cozinheiros e da luta contra a fome. A construção da capela iniciaram em 1996 por meio de mutirão das pessoas da comunidade com apoio da Missão Católica Nipo-Brasileiro, por meio do Monsenhor Pedro Ryo Tanaka, sacerdote de grande espiritualidade. São Benedito foi canonizado em 1807 pelo papa Pio VII e seu corpo se encontra na igreja do convento de Santa Maria de Jesus, em Palermo. O culto a São Benedito se espalhou e passou a ser honrado como padroeiro dos afrodescendentes, das donas de casa, dos cozinheiros e dos profissionais de nutrição.

 

3) A Praça Zumbi dos Palmares construída pelos próprios moradores dos conjuntos João de Barro I e Santa Felicidade a Praça Zumbi dos Palmares é admirada  por sua beleza, história, identidade, memória e ancestralidade foi reconhecida pela Lei Municipal n.º 4.044/96 e é o principal Patrimônio físico, histórico e representativo da comunidade negra de Maringá, sendo palco para diversas manifestações culturais, em especial da cultura afro brasileira ela é uma referência histórica da resistência negra, afro brasileira, no estado do Paraná.    A praça Zumbi dos Palmares é reconhecida por instituições públicas e pela sociedade civil e produtores culturais como um lugar de referência para a realização de práticas culturais e artísticas, de caráter urbano e tradicionais. Ao longo da existência da Praça foram realizadas no local mais de 50 eventos culturais    como apresentações musicais, gravação de clip, capoeira, danças, hip hop e cinema na praça que levaram cultura e lazer para mais de 10 mil pessoas.

 

     A visitação  se encerra na Capela São Bonifácio o primeiro templo religioso em terras maringaenses no Conjunto Cidade Alta. A construção da capela iniciaram em 1939 e foram concluídas em fevereiro de 1940. Foi tombada pelo patrimônio Histórico do Município de Maringá, restaurada e reinaugurada dia 10 de maio de 1999.  Isto posto, percebe-se   a importância da sociedade, artistas, produtores culturais e professores de assinarem  o manifesto em apoio a criação do Corredor Cultural na Região dos Conjuntos João de Barro I e Santa Felicidade visando a preservação dessa riqueza histórica que comporta  diferentes  elementos  que estão relacionado à religiosidade, manifestações artísticas e culturais que sem  o apoio do poder  público e da sociedade maringaense   estarão  fadadas a perderem-se pelo esquecimento pois ali o passado e o presente se integram no cotidiano da comunidade.


Observatório da Periferia de Maringá/PR.    Contactar o autor da petição

Assine esta Petição

Ao assinar, autorizo que Observatório da Periferia de Maringá/PR. entregue a informação que estou a fornecer neste formulário a quem tem poder nesta questão.


OU

Irá receber um email com uma ligação para confirmar a sua assinatura. Para se assegurar de que recebe os nossos emails, por favor, adicione o info@peticao.online à sua lista de contactos ou à lista de remetentes seguros.

Tenha em atenção que não pode confirmar a sua assinatura respondendo a esta mensagem.




Publicidade Paga

Anunciaremos esta petição a 3000 pessoas.

Saber mais...