ABAIXO-ASSINADO EM APOIO A ADVOGADA LETÍCIA SIQUELLI MONACO

Comentários

#1

OAB-SP 176.591

Ana Lucia Keunecke (São Paulo, )

#5

Letícia, estamos juntas! Não iremos nos calar! #advogadasinformam

Ana Dulce Fernandes (Salvador, )

#6

Absurdo precisamos lutar contra esse CRM machista e persegue um trabalho fundamental de esclarecimento dos direitos ao parto humanizado. E que devemos denunciar SIM a violência obstétrica.

Elena Rezende (Santo André , )

#13

Me solidarizo com a colega advogada tendo em vista a sua nobre missão de proteger a mulher em situação de vulnerabilidade na hora do partp

Julia Regia Gomes (Juazeiro do norte, )

#20

É um absurdo a Cremesp ao invés de se dedicar a auditar médicos e hospitais que violam os direitos das mulheres apoiar uma denúncia infundada porque a violência obstétrica existe e é muito comum, infelizmente. Não vão nos calar. O mundo precisa de ações.

Bruna Libania Siqueli (Sao José dos Campos , )

#23

É um absurdo um Conselho Médico se opor à instrução de pacientes sobre seus direitos. Esse Conselho prima pela ignorância para que os médicos nele registrados sintam-se à vontade para desrespeitar a lei brasileira sem qualquer tipo de consequência. Que aprendam a respeitar a advocacia, as leis brasileiras e as iniciativas de educação deste país!

Luciana Morilas (Ribeirão Preto, )

#26

Assino em nome dos direitos fundamentais à saúde, à liberdade de cátedra e à liberdade profissional.

Simone Henrique (São Paulo , )

#29

Manifestação de apoio à colega Letícia, a qual presta um serviço essencial à sociedade, em especial às mulheres e gestantes!

Andressa Fogaça (Canoas, )

#35

Nós, advogadas e advogados abaixo-assinados, afirmamos nosso apoio à advogada LETÍCIA SIQUELLI MONACO em razão de Representação encaminhada ao Tribunal de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil da Seccional de São Paulo, pelo Conselho Regional de Medicina de São Paulo, em razão de ministrar e divulgar curso denominado “Em busca do Parto Humanizado”.

Entende o CREMESP que o mencionado curso objetiva “instigar mulheres a denunciarem os médicos especialistas em obstetrícia e pediatria por supostas violências obstétricas”. Desta maneira, o curso e sua divulgação em mídias sociais “denota ofensa ao trabalho do profissional médico que atua em detrimento à saúde da paciente”. Afirma ainda que os “módulos” do curso “contém matéria técnica médica” onde somente médicos podem ministrar referido tema.

Letícia Siquelli Monaco, advogada estudiosa e especialista na área de violência às mulheres, especialmente, violência obstétrica, amparada pelo seu conhecimento dos ditames constitucionais voltados a defesa da dignidade humana, leva às mulheres, e a todos que queiram aprender, os direitos que possuem, ao conhecimento das leis que determinam a proteção de sua saúde, dos bebês que geram, as escolhas que podem ter durante a gestação, pré-parto e pós-parto. É disso que fala o curso ministrado por Letícia Siquelli Monaco.

Evidentemente que o conhecimento das mulheres e, porque não dizer de homens também, levam à sabedoria que precisam ter a respeito da defesa de suas vidas e daqueles que lhe são caros. É disso que se trata. Por óbvio, quanto mais conhecimento e consciência de seus direitos as mulheres evitarão o sofrimento causado pelas violências obstétricas que são submetidas, denunciando maus profissionais e evitando que esses tipos de crime não ocorram. Tratamos da defesa da vida das mulheres em um país que vê com incredulidade possíveis estupros em partos sob cesarianas.

Obviamente, nós advogadas e advogados, temos o dever de defender todas as mulheres atingidas em sua integridade física, psicológica e moral. Isto faz parte do juramento que fazemos quando nos tornamos profissionais do direito.

Todo o nosso apoio e solidariedade a nobre advogada Letícia Siquelle Monaco.

Por oportuno, lembremo-nos do que diz a Resolução CFM n. 2.217/2018 na aprovação do Código de Ética Médica em seus considerandos: “...os Conselhos de Medicina são ao mesmo tempo julgadores e disciplinadores da classe médica, cabendo-lhes zelar e trabalhar, por todos os meios ao seu alcance, pelo perfeito desempenho ético da medicina e pelo prestígio e com conceito da profissão e dos que a exercem legalmente”.

Todo o nosso apoio e solidariedade a nobre advogada Letícia Siquelli Monaco

Rafaela Cortes Carvalho,OAB/RJ 203.270

Rafaela Côrtes (Macae/Rj, )

#36

Pq é necessário que pessoas que possuem didática para atingir QQ classe social, com informações necessárias em um país onde o machista, o dinheiro e autoritarismo, negacionismo sejam predominantes.
Sou Doula e quero que mais mulheres tenham acessos informações e seus direitos.

Alessandra Costa Gloria Lopes (Águas da prata , )

#42

Não podem calar o direito das mulheres!

Sheiliene Tavares (Vargem Grande do Sul , )

#44

Educação em saúde não é ato privativo do médico.

Jenefer Silva (Santos, )

#46

OAB/SP 221.635

Gabriela Ponte Machado (São Paulo, )

#50

Acredito que haja um equívoco na representação contra a Sra. Letícia Siquelli Mônaco.

Fabiano Carneiro Nassin (São João da Boa Vista , )

#52

É um absurdo essa tentativa de silenciar uma mulher mãe e advogada que está lutando pelos direitos básicos das mulheres e gestantes. Toda a minha solidariedade a Letícia e o meu pedido para que ela não desista

Flora Melo Neves (Capitólio , )

#55

Pois sei da importância em mostrar as mulheres as violências obstétricas que muitas de nós sofremos para que possamos inibir novas violências

GRAZIELA DA SILVA (Piracicaba, )

#57

Eu assino pela luta das mulheres!!?

Raissa Elias (São Paulo , )

#59

Concordo com a presente petição.

Kaiala Barbosa Moreno (Ibicui - Bahia, )

#60

Não concordo com essa denúncia

Giuliana Paula Ribeiro de Souza (Foz do Iguaçu , )

#61

Apoio ao direito a informação!

Elisângela Sanches (Aguaí-SP , )

#63

Ação muito necessária dessa advogada

Patricia Hassan (Vinhedo , )

#64

Importância do não silenciamento na luta em favor dos direitos das gestantes e de toda a população em ter acesso a informações e conhecerem seus direitos

Thiago Vilela (Alta floresta , )

#68

Conhecimento gera mudança e isso incomoda pelo direito a informação.

Cláudia Nogueira (Rio de Janeiro , )

#70

Apoio completamente a Dra. Letícia e entendo como útil e necessária as informações passadas por ela para nós, vítimas ou potenciais vítimas de violência obstétrica

Tatiane De Jesus Machado (Ipiau, )

#72

Quero apoiar a causa

Neliani Chaves (Beberibe , )

#73

Total apoio à Leticia, nós mulheres precisamos de informação e menos violencia.

Juliana Flaminio Pigatti (Sao joao da boa vista, )

#76

Pq basta ser mulher pra sofrer abuso nesse país

Bee Cordeiro (São Paulo , )

#77

A quem interessa a desinformação de mulheres?

Jéssica Raquel Silva (Maringá , )

#78

Eu estou a assinar para defender a advogada

Carolina Conrado (Rio de Janeiro, )

#82

Sou a favor de que as mulheres precisam se unir, se levantar e se defender, tanto de homens comuns, como daqueles que estão no poder. Não estamos seguras.

Luana Mazaro Candido Ferreira (Guarulhos, )

#91

Porque nos precisamos ser bem tratadas e respeitadas e não violentadas.

Joselma Aguiar (Cacheirinha, )

#100

Reconheço a integridade profissional da acima citada.

Gabriela belize Rodrigues dos Santos (Salvador-Ba, )

#106

Acredito que toda mulher deve saber os seus direitos e evitar violências obstétrica!

Debora Florencia (São Bernardo do Campo , )

#109

Chega de violências contra as mulheres!

Rosane Almeida (Pains, )

#112

Mulheres precisam ser o orientada quanto a essa violência

Thamiris da Silva Siqueira (Ferraz de Vasconcelos , )

#113

Somente nos unindo nos defendemos já passei por violência e ninguém merece

Laura Tosta (São Paulo , )

#131

É um absurdo o corporativismo da CREMESP na pessoa do sua presidente Irene Abramovich, bem como os ensinamentos passados são jurídicos e disponíveis para conhecimento de todos.

Leonam Costa (Aguaí, )

#132

Apoio a advogada.

Fernanda Costa (Contagem, )

#134

Estou assinando a petição pois acredito que a função social que a advogada Leticia exerce é de extrema importância para contribuir para que mais mulheres conheçam seus direitos de gestante e saibam como agir durante a gestação para que não sofram da violência obstétrica.
Ainda não sou mãe, mas conheço de perto a realidade que a violência obstétrica causa da vida das mulheres porque minha mãe foi vítima disso, quase perdendo a vida e a vida da minha irmã caçula por conta da violência e negligência médica, e também minhas avós e tias já sofreram desse mal.
Presto toda a minha solidariedade a Leticia e espero muito que todas tenhamos forças para continuar lutando contras as injustiças que nos submetem.

Beatriz da Silva Corrêa (São João da Boa Vista, )

#135

Acredito e defendo a difusão de toda informação que ajude mulheres a identificar e se proteger da violência obstetrica.

Juliana Do Carmo Lacerda e Souza (Limeira , )

#140

Apoio à causa

Adriana Freire (Valinhos, )

#143

Pq o conhecimento liberta!!!!

Lohanne Pontes (Uberaba, )

#147

Quero ajudar a manter o direito da fala

Joyce Santos Sobrinho Batista (Diadema , )

#149

As mulheres precisam ser informadas sobre o que são as violências obstétrica e sou solidária com quem se propõe a informar

Leila Ramos (Taubaté , )

#151

Um absurdo Médicos e seu Conselho que tentam calar quem se dispõe a orientar mulheres sobre seus direitos, acho ainda que eles deveriam convidar advogados e profissionais como a Letícia para contribuir na formação dos médicos e atuação no SUS.

Walquiria Fagundes (Mococa , )

#152

Porque é um absurdo considerar que quem informa sobre direitos seja perseguido pelo órgão que deveria garantir esses direitos. Se ninguém ensina quais os direitos da gestante e como denunciar quando esses direitos forem violados continuaremos tendo mais e mais violências acontecendo e agressores sem ser responsabilizados.

Guilherme Henrique da Silva (Aguaí , )

#155

Todos nós temos o direito de denunciar. Muitas vezes não sabemos diferenciar as outras e acabamos nos submetendo as coisas horríveis

Thaynã Wéllia (Baturite , )

#157

É uma absurdo negar informação às mulheres! A violência obstétrica existe e todas as mulheres têm direito à informação.

Carolina Amorim de Barros (Brasília , )

#161

Integral apoio a colega por tudo que representa para a advocacia feminista!

Thaís Perico (Santos , )

#166

É um direito da mulher se expressar e passar adiante informações importantes como essa.

Thaís Florença (Araruama , )

#173

Porque se faz mais que necessário o conhecimento.

Iarlys Da Silva Moreira (Santa Luzia , )

#180

Todas os cidadãos devem estar à par de seus direitos e o conselho de Medicina está somente sencurando e sendo cúmplice de potenciais agressores praticantes de medicina. Que fique claro aos órgãos reguladores e pessoas que praticam a medicina, que eles não são deuses e não estão acima da lei. Não nos encontramos mais em tempos de obscurantismo da ignorância e as pessoas não devem mais confiar segamente em nenhum profissional, visto que seu diploma não determina sua índole, moral e intenções.

Bruna Barbosa Fernandes (Curvelo - Minas Gerais, )

#181

Assino pq e um direito e dever das mulheres saberem como deve ser o parto.

Daniely Soares (Gaspar , )

#187

Porque é direito de toda mulher saber se está sofrendo violência obstetra ou não, então o curso ministrado pela doutora e de grande valia para muitas mulheres sem esse conhecimento.

Flávia Taís Martins (Ibiporã , )

#189

Conheço o belo trabalho da colega e dedicação ao assunto.

Monalisa Silva (São João da Boa Vista, )

#191

Estou grávida e conhecer os meus direitos tem sido um alívio.

Keila Lima (Bagé , )

#192

Porque apoio o acesso a divulgação de informações contra a violência obstétrica.

Thaynara Miranda (Trindade , )

#197

Absurda essa representação, é direito de qualquer um que possua conhecimento técnico repassa-lo à sociedade.
Ademais , a manutenção da representação fere as prerrogativas da advogada.
Estou com você Dra.

Ivanda Nivaldete Vieira da Cruz (Uberaba, )



Publicidade Paga

Anunciaremos esta petição a 3000 pessoas.

Saber mais...